quarta-feira, 27 de fevereiro de 2013

Herpangina

Dizem que temos que tomar cuidado logo depois da criançada entrar na escola, porque as doenças aumentam, resfriados são frequentes, etc, etc, etc..., mas sinceramente eu não esperava ver a Catarina ficar doente logo depois da primeira semana de aula...kkk.

Relatei aqui como foi essa semana inesquecível, em resumo foi tudo bem tranquilo, mas se não leu é só dar uma olhadinha no post Diário da Cat: Primeiro Dia de Aula.

Sábado fomos a um casamento, Catarina estava extremamente "amorosa", querendo colo e deitando sobre os ombros, geralmente ela não é assim, aliás isso é contrário do seu perfil espoleta de ser!!! Olha aí o primeiro sinal...

Voltamos, coloquei-a para dormir, dormiu por algumas horas e acordou chorando. Na hora que eu a peguei no colo, o susto, estava quente, pegando fogo...

Acorda, acorda!!! Falei para o marido pedindo que ele pegasse um remedinho. Optei pela Dipirona, para ver se abaixava logo essa febre, e assim fiquei controlando a febre durante o domingo inteiro! A principio eu pensava que poderia ser: opção 1 - febre pelo nascimento dos dentes e pela babação exagerada, já que 4 caninos estavam nascendo juntos (depois de todos os dentes já nascidos que somam uns 10 - resolvi comprar aquela pomada Nenedent para ver se passava o desconforto, mas ela nem deixou eu chegar perto da boca..kkk), a opção 2 - febre decorrente de resfriado, já que tinha uma criança resfriada na escolinha, opção 3: opção 1 e 2 juntas...afff.

O fato era que ela estava por demasiado chorona. Tinha diminuído o apetite mas nada fora do comum. Um choro de incomodo, de dor, sei lá...que dó. Foi então que resolvi ligar para a pediatra dela, porque a Cat estava reclamando de alguma coisa que eu não sabia o que era....

Conversando com a Dra. Raquel, que me pediu para levá-la ao PS do Hospital Santa Catarina, já que estava de plantão por lá na noite de domingo. Disse que estava com um surto de faringite e depois que mencionei que na noite de sábado para domingo percebi a Catarina respirando um pouco ofegante a preocupação redobrou sobre a presença de chiado e o descontrole da asma.

Saí para o hospital, pedi para meu pai me levar de carro, porque meu digníssimo não dirige, e assim poderia ir com a Catarina no banco traseiro. Logo que saímos de casa, a Cat vomitou tudo: no babador, na roupa, na cadeirinha, no carro!!! Meu Deus quanto gorfo!!! A sorte é que a mãe prevenida tem sempre uma roupinha extra, mas essa mesma mãe só tinha pego uma fralda que não deu conta da limpeza, aí você pergunta: -Mas e os lenços umedecidos??? Poderiam ajudar a limpar... Pois é, agora a mãe esquecida deixou em casa...kkk. Tadinho do pai, saiu correndo na chuva para comprar um lencinho enquanto eu a trocava dentro do carro, imagina a situação...

Vou pular a parte do hospital e ir direto ao diagnóstico porque está ficando compridinha essa história...kkk.

O que a Cat tinha??? Herpangina. Esse foi o diagnóstico. Depois de ter contado toda a anamnese, a Dra. Raquel viu o ouvido que estava todo vermelhinho, e pimba...foi só ver a garganta para ter certeza. Várias aftas na garganta.

Segue um texto sobre o que é a doença que encontrei em http://br.guiainfantil.com/herpangina.html

A herpangina é uma doença que pode ocorrer com mais frequência na estação do verão, e se caracteriza por lesões vesiculosas e ulcerativas na boca das crianças, afetando o paladar (língua), a faringe, as amídalas, etc. A criança menor de 5 anos, poderá apresentar febre alta, vômitos, diarréia, dor de garganta e muita babação. É uma doença auto limitante que desaparece entre 2 a 7 dias, aproximadamente.

Causas da herpangina
Essa enfermidade é causada por vários tipos de vírus. Usualmente, a herpangina é produzida por uma linhagem particular de coxsackievirus A, mas também pode ser causada por coxsackievirus B ou echovirus. É mais comum em crianças. O diagnóstico é clínico e o período de incubação é de 2 a 7 dias.

Tratamento da herpangina
Embora a herpangina possa ser assintomática, os sintomas geralmente associados são febre alta e dor de garganta. O tratamento consiste no uso de antipirético, ingestão abundante de líquidos e alimentos leves, frios e doces como a gelatina, o iogurte, e os sorvetes. Os antibióticos são recomendáveis somente em caso de complicações do tipo bacteriano. Em todo caso, a assistência médica é que irá avaliar o quadro clínico da criança.

Fonte: http://keiji-hagiwara.blogspot.com.br/2011/06/herpanginamouth-blisters.html

O incomodo e o chororô da Cat era dor na garganta, tadinha, dor mesmo!!! As orientações foram administrar Ibuprofeno para dor e febre, apenas isso, porque conforme informado para crianças menores de 2 anos não se recomenda spray anestésico pela imaturidade do sistema de mastigação e deglutição. Evitar dar alimentos ácidos e quentes, e aumentar o consumo de liquido.

Embora tenha melhorado no quarto dia, a pediatra pediu afastamento da escola por uma semana. Ahhh....que peninha, Cat perdeu a festinha de carnaval da escolinha, mas mãe responsável é assim, não se pode colocar em risco todas as criancinhas por causa de uma fantasia!!!

Mas quem disse que não teve carnaval em casa???!!!  =)

Olha aí minha CHIQUINHA preferida!!!

Nenhum comentário:

Postar um comentário