sexta-feira, 13 de julho de 2012

Dúvidas SAÚDE

O texto foi retirado da revista Crescer...


Meu bebê regurgita muito, como sei se é refluxo?
É fácil confundir a regurgitação comum, que ocorre depois das mamadas, com o refluxo gastroesofágico. Ela ocorre porque a válvula entre o esôfago e o estômago ainda está se desenvolvendo. O amadurecimento acontece naturalmente entre os 6 meses e 1 ano. Até lá, o jeito é ter muitas fraldas extras. Já o vômito em excesso e sem motivo é um dos sintomas do refluxo patológico, que é mais raro, mas somente o pediatra pode concluir o diagnóstico.
Como tratar a fimose? Devo fazer massagem ou esperar o bebê crescer e usar uma pomada?
Cada caso deve ser analisado separadamente e as opções de tratamento, discutidas com a família. Normalmente, os pediatras indicam pomadas e massagens no local e, nos casos em que não há sucesso, opta-se pela cirurgia. A maioria recomenda o procedimento por volta de 2 anos de idade.
Qual é a diferença entre a vacina contra paralisia infantil dada no posto de saúde e a das clínicas particulares?
A vacina contra a paralisia infantil dada gratuitamente no posto de saúde, na forma de gotinhas, chama-se Sabin. Nas clínicas particulares, a alternativa é a Salk (a dose é aplicada conjugada com outra vacina dependendo da idade da criança, e o preço fica em torno de R$180). As dosagens de ambas – e a eficácia – são as mesmas. A única diferença entre elas está na composição. A Salk é feita com vírus morto (inativo) e é injetável. A Sabin é feita com vírus vivo e atenuado. Embora raro, existe o risco da doença ser provocada pelo vírus vivo presente na Sabin.
O bebê precisa tomar água? E no verão?
Se o seu filho está mamando exclusivamente no peito, a resposta é não. O leite fornece todos os nutrientes que ele necessita. Em dias de muito calor, se perceber que ele não mama o suficiente, ofereça um pouco de água, mas isso deve ser uma exceção. Caso seu filho já use a mamadeira, não há problema em oferecer água em dias quentes, até porque o leite em pó requer água no preparo.
Os bebês enxergam logo que nascem? Quando começam a ver cores?
Assim que nascem, os bebês enxergam mal. Têm a visão nublada e dificuldade para focar. Não enxergam cores nítidas e conseguem apenas identificar contrastes entre cores claras e escuras. Nessa fase, enxergam melhor quando o objeto fica de 25 a 30 cm. Essa é a distância que o rosto da mãe fica quando ela segura o filho no colo para amamentar, por exemplo. De 3 a 6 meses, ocorre um grande progresso na distinção de cores e nitidez, chegando a ser muito próxima à visão do adulto.
Meu filho usa chupeta para dormir, mas os primeiros dentes começaram a nascer. Devo tirar? Como?
A chupeta pode ajudar seu filho a se tranquilizar com mais facilidade. Mas não é uma solução definitiva. A idade limite para o uso é 3 anos. Caso contrário, ela pode causar alterações na arcada dentária. Para retirá-la, é preciso determinação: livre-se dela e, principalmente, não ceda ao choro. Uma boa dica é contar histórias na cama. A criança vai se desligar e adormecer, sem lembrar da chupeta.
Quando os primeiros dentes vão começar a nascer?
Pode acontecer entre 4 e 10 meses, mas é apenas uma estimativa. Há bebês que já nascem com um dente enquanto outros completam 1 ano ainda banguelas. Quando os dentes despontarem, seu filho vai levar tudo à boca para aliviar a dor e a coceira. Ele vai babar mais e pode ter febre. Fique atenta apenas se aparecer algum machucado, inchaço ou se a febre passar de 38º C.
É normal o bebê ter soluços nos primeiros meses?
Sim, é normal. Acontece porque o sistema digestivo dele ainda não está totalmente desenvolvido. Incomoda mais os pais do que a própria criança e, normalmente, passa sozinho.
É verdade que se o local da vacina da BCG não inchar e sair pus, ela não pegou? Nesse caso, tem que dar de novo?
Durante o processo de cicatrização da vacina, a criança pode ter febre e o local inchar e formar pus até criar a marquinha típica. Isso pode acontecer até seis meses após a vacinação. Do contrário, recomenda-se uma segunda dose. Há, porém, um exame chamado PPD (Prova Tuberculínica Cutânea) que aponta se a vacina imunizou a criança que não tem a marca. Mas o resultado deve ser interpretado com cautela. Converse com o pediatra.
Como identificar a cólica e o que fazer?
A cólica, em geral, começa no fim da tarde e é acompanhada por choro intenso. O bebê se contorce, flexiona as pernas e o rosto fica vermelho. Pode soltar gases e demonstrar que tem dor. Para amenizá-la, faça massagens, coloque bolsa térmica ou pano quente na barriga, movimente as perninhas, pegue-o no colo (próximo ao seu coração) ou, ainda, dê um banho morno.
Se o bebê estiver com febre, quando devo ligar ao pediatra ou levar ao pronto-socorro?
Em crianças com menos de 3 meses é grave, porque o sistema imunológico é imaturo e nem todas as vacinas foram tomadas. Por isso, procure um pediatra ou um pronto-socorro logo. Em bebês maiores, você pode dar um antitérmico e ligar para o médico para avisar se há outros sintomas como prostração, vômitos, ausência de fome, moleira elevada, tosse, respiração difícil ou manchas vermelhas. Do contrário, observe a evolução do quadro por 24 horas. Além do antitérmico, dê um banho morno e ofereça bastante líquido se ele tiver mais de 6 meses.
Posso ligar o ar-condicionado ou o ventilador no quarto do bebê?
Nos dias de calor, o ventilador pode ser posicionado a distância e voltado para o lado contrário da criança. No caso do ar-condicionado, é preciso monitorar o ambiente para checar a temperatura a toda hora. Mas ele resseca o ar. Por isso, melhor avaliar se realmente é necessário.
O que é melhor: canguru ou sling?
Até os 3 meses, é melhor o sling. Nesse caso, o bebê fica todo envolvido e confortável. Para ficar no canguru de forma segura, a criança deve sustentar a cabeça sozinha. Por volta dos 10 meses, talvez você prefira o canguru, que deixa os braços e pernas do bebê livres. Nenhum dos dois prejudica a coluna da criança.
Posso manter o cachorro depois que o bebê chegar?
Claro! Antes, porém, coloque as vacinas dele em dia e restrinja o seu acesso aos quartos. Quando ele chegar, deixe-o cheirar o bebê para que se familiarize. Faça carinho e dê petiscos, na frente do bebê, para diminuir o ciúme inicial.

Fontes: Tânia Shimoda, pediatra do Instituto da Criança do Hospital das Clínicas de São Paulo; Márcia Pradella-Halinan, neuropediatra e coordenadora de pediatria do Instituto do Sono da Unifesp; Márcia Kuriki, enfermeira-obstetra, supervisora da maternidade do Hospital São Luiz (unidade Anália Franco); Rita Callegari, psicóloga do Hospital e Maternidade São Camilo, Fátima Fernandes, pediatra do Hospital Infantil Sabará (SP), Jane Oba, gastroenterologista pediátrica do Hospital Infantil Sabará (SP), Gerson Matsas, pediatra do Hospital Samaritano (SP), Alessandro Danesi, pediatra do Hospital Sírio-Libanês (SP), Sônia Liston Colina, pediatra do Complexo Hospitalar Edmundo Vasconcelos (SP), Moises Chencinski, pediatra (SP), Wagner de Castro Andrade, cirurgião pediatra do Hospital Infantil Sabará (SP), José Claudionor da Silva Souza, pediatra e neonatologista da Maternidade Pro Matre Paulista (SP), Clery Bernadi Gallacci, pediatra da maternidade Santa Joana e professora de pediatria da faculdade de ciências médicas da Santa Casa de São Paulo;Hamilton Robledo, pediatra do Hospital e Maternidade São Camilo


Nenhum comentário:

Postar um comentário