segunda-feira, 23 de julho de 2012

Diário da Cat - 8º mês


Este foi o primeiro mês que passamos por um perrengue médico com Cat.

Com oito meses e meio a Catarina começou apresentar sintomas de um resfriadinho, aqueles clássicos como narizinho entupido e tosse. Para resfriado, não há muito o que se fazer, a não ser mantê-la hidratada, pingar soro fisiológico e fazer inalação. Às vezes ficava com um pouco de dificuldade de respirar enquanto mamava, mas mesmo assim não diminuiu o apetite pelo almoço ou janta. Fiquei esperando esse resfriado passar, tranquila, pois tinha dado a vacina de gripe. Passou uma semana, achei que poderia esperar mais até completar 10 dias, para então falar com a pediatra dela. Nada de pânico por enquanto, estava comendo bem, sem febre, mas o catarro não saia de jeito nenhum. Um dia desses, ela estava tão constipada que deu uma engasgada tão feia que a bichinha até ficou com as bochechas vermelhas, tossiu, tossiu, mas tossiu tanto...não chegou a ficar roxa, mas foi a primeira vez que fiquei realmente preocupada. Viramos, eu e meu marido, a Cat com a barriga para baixo (sempre com a cabeça mais baixa do que o bumbum), para ver se saía alguma coisa...e nada! Minutos depois, estava tudo bem. Liguei para a pediatra dela logo em seguida, a primeira pergunta foi se ela tinha ficado roxa, disse que não, apenas que tinha tossido muito. Ela me disse é que isso era um bom sinal, que era a resposta do organismo dela em virtude do engasgo. Ufaaa...


Nada, mas nada dessa tosse passar, o nariz constipado nem era mais o problema. Como dias depois era a consulta de rotina dela, decidi esperar mais um pouquinho. Na consulta com 15 dias de resfriado, descobri que o resfriado não era resfriado e sim uma bronquiolite!!! Minha sogra, tadinha, entrou em pânico, porque a outra netinha dela ficou internada por dias por conta dessa doença.

Dá-lhe remédio na guria, além das inalações com soro tinha que colocar algumas gotinhas de Aerolin e dar Predinisolona por uma semana. Caso não passasse 100% a tosse no prazo estipulado era para retornar ao consultório. Depois de alguns dias, a tosse melhorou uns 80%, mais ainda não era suficiente.

Nesse meio tempo por insistência das avós e do papai, resolvi levar a Cat para uma segunda opinião médica, porque já fazia quase 1 mês e ainda ela estava com tosse e chiado embora sem febre. Como a Catarina estava demorando a ficar boa, o povo estava desconfiado do tratamento orientado pela pediatra dela e no achismo de ser pneumonia. Fui numa clínica perto de casa mesmo, passei na emergência, fiquei 2 horas esperando nesse lugar...já perceberam que não gostei né?! E uma médica ho-ror-ro-sa me atendeu. Disse todo o histórico médico dela, a anamnese e o tratamento que estava sendo feito, e ela simplesmente disse: - "Quem prescreveu isso???". Fiquei bege, como assim, acho ela deve estar pensando que eu auto prescrevi os remédios da Catarina. Disse que era um absurdo dar Aerolin para bebê que eu tinha que dar Berotec. Lembro-me de quando a Dra. Raquel prescreveu o Aerolin, a primeira pergunta que fiz foi sobre o Berotec e a diferença entre eles, porque meu pai tem DPOC (doença pulmonar obstrutiva crônica) e usa Berotec. A resposta...-Michelle, o Berotec tem muito menos efeito colateral. Meu Deus, como pude duvidar da minha pediatra, dona de um CV invejável, que trabalha em vários hospitais conceituados, professora da Escola Paulista e levar minha filha nessa clinica de fundo de quintal....afff, uma vez pra nunca mais!!! A única coisa boa é que saí de lá com um RX de tórax, que diga-se de passagem, muito mal tirado por sinal.

Então de volta à pediatra. Excluindo o diagnóstico de pneumonia, decidimos entrar agora com Amoxilina, não por conta do RX mas por causa do ouvidinho levemente vermelho e Cerumim, e uso preventivo de corticóides para tratamento de asma (Flixotide e Singulair Baby) pelo menos durante o inverno e usar espaçador para as bombinhas. Pudera também, neta e filha de asmáticos não poderia dar em outra coisa...genes do mal. E lá se foi o rico dinheirinho da mamãe na farmácia!!! Mas por eles a gente não mede esforço, não é???

Depois de pesquisar sobre bronquiolite, descobri a fisioterapia respiratória. Gente, custa em média R$150,00 a sessão mas não é que a coisa funciona mesmo!!! Como disse, a Catarina estava catarrenta mas de jeito nenhum ela conseguia expelir o catarro. Que ajuda maravilhosa as manobras de tapotagem e a aspiração feita pela fisioterapeuta. Recomendo muito!!!

As outras novidades do mês...

Mais dois dentes na boca da Cat, agora nasceram incisivos laterais superiores e somam-se seis dentes na dentadura. Agora depois de muita insistência e treinamento a Cat aprendeu a bater palminha e dar tchau.

8º mês - Indo na festa da priminha!!!

Ahhh...mas mês que vem a continuação do caso do resfriado arrastado!!!kkk

Nenhum comentário:

Postar um comentário