segunda-feira, 7 de maio de 2012

Amamentação

Não preciso nem dizer da importância do aleitamento materno, mas só para intensificar vou recomendar um site http://www.aleitamento.com/amamentacao/ que além dos principais motivos para fazê-lo, traz dicas valiosas e interessantes sobre o tema, vale a visita!!!

Amamentar é tudo de bom!!!

Tem coisas que a gente só aprende na prática, e amamentar é uma delas!!! Pra mim, a premissa que toda mãe deve saber é que AMAMENTAR NÃO DÓI, e se está doendo alguma coisa está errada.

Muita gente aprende na teoria como se deve fazer para amamentar, com certeza esse deve ser um dos tópicos nos cursos de pais. Eu não fiz o curso, não senti falta, mas acho que quem fez também não deve se arrepender, então fica a critério...

Na maternidade é quando surgem as primeiras dúvidas!!! Eu demorei a me acertar com a Catarina. No primeiro mês só dava de mamá na posição invertida, achava mais fácil...depois com o tempo mudamos para a posição deitada.

Passei por tudo na amamentação. Nos primeiros dias desceu o leite, ainda tinha um pouco de dificuldade para acertar a pega, mas estava tudo indo bem...Tinha muuuuito leite e nesse caso é importante ordenhar para não causar problemas como a mastite. Então resolvi ligar para Banco de Leite e fazer minha boa ação. Eu não sei se isso é pouco difundido, ou qual é o motivo para que tão poucas mães contribuam com essa causa, que por sinal é tão importante quanto a doação de sangue. Não dá trabalho algum, eles vão em casa orientar, fazer exames de sangue periódicos e entregar os kits para coleta do leite. Depois de colhido, basta esperar encher os potinhos, ligar para retirar e pronto. Doei por 3 meses e fiquei com o coração partido quando parei, era preciso estocar leite para a Catarina quando voltasse a trabalhar. Nesse dia liguei lá para dizer que deixaria de doar e que estava triste por isso, mas a atendente me consolou dizendo que os meses de doação ajudaram a salvar dois bebês prematuros de 700 g cada, e que eu tinha que pensar que o primordial era a saúde da minha filha!!! Ela estava certa...

Tudo indo bem até que as famosas fissuras apareceram. Tudo porque havia relaxado em prestar atenção na pega. Chega um momento que você entra no automático, tanto pelo cansaço como por achar que já sabe como fazer, e se esqueçe de observar o jeito de como o bebê abocanha o mamilo, já que está saindo leite e no momento não está doendo, você acaba relaxando...o resultado foram 2 semanas de muita dor!!! Eu nem achava que o problema era a pega, achava que como a Catarina neste período estava com sapinho (infecção por fungo), eu poderia ter contraído a infecção no bico do seio. Que nada..era a pega mesmo!!! Fiquei com um seio bem machucado, mas continuei o quanto pude com a amamentação no outro seio. Nesse meio tempo ia tirando leite do outro seio e alternando as mamadas de peito e mamadeira (com leite ordenhado) para dar um descanso para o seio sadio. Aparentemente não estava melhorando, pior, o outro seio estava ficando machucado. Então, por uma semana a Catarina bebeu leite materno na mamadeira . Por orientação do meu GO, usei compressa de chá de camomila, pomada de lanolina e um protetor chamado Mamare (caro e que não ajudou muito). Nesse meio tempo, levei a Catarina a pediatra, que me mostrou que mesmo com os seios machucados (ainda que melhores) se a pega está correta eu não sentiria dor, e essa foi a prova!!! A partir desse dia, nunca mais tive problemas na amamentação. Lembre-se de que o bebê deve sempre abocanhar a maior parte da aréola, para isso, encosta-se o mamilo no lábio inferior para que o bebê abra bem a boca e coloque quase toda aréola para dentro, e boca de peixinho sempre!!!

Ahhh...outro indicativo de pega errada é na mamada o bebê fazer barulho!!! Fiquem atentas...

Passado o tempo de dor nos bicos dos seios, veio uma dor absurda no seio propriamente dito. Era uma dor cortante, parecia que rasgava a pele, e era localizada bem na lateral. Me perguntaram se não era dor de descida do leite, de peito cheio e não, não era. Você realmente sente quando o leite desce, quando o peito está duro de tanto leite mas não era isso. Na maioria das vezes era insurportável e principalmente aparecia a noite, fiquei uns 2 meses com essa dor, e a base de analgésicos, dipirona que nada tomava Voltaren mesmo. Depois passou, tão rependinamente como veio. Hoje eu acho que era meu seio expandindo porque meu sutiã aumentou de 44 para 48, só pode, não vejo outra explicação...kkk.

É comum as mamães "frescas", terem dúvidas na amamentação, então para esclarecer, o que você deve saber...

1. repetindo a frase do começo do post AMAMENTAR NÃO DÓI!!! Então não desista de amamentar...porque é só pegar o jeitinho :)

2. quando devo mudar de seio??? O que as mamães devem saber é que há dois tipos de leite. O chamado anterior é aquele quando a mamada começa, rico em proteína, lactose, vitamina, minerais, água e muitos fatores de proteção, e no final da mamada o leite posterior que contém mais gordura e por isso fornece mais energia e permite que o bebê fique satisfeito. Então, não fique marcando o tempo no reloginho de quanto tempo seu bebê mama, porque 10, 20 minutos pode não ser tempo suficiente para o bebê mamar o leite posterior. O ideal é que o bebê ESVAZIE UMA MAMA PARA DEPOIS TROCAR PELA OUTRA. Na próxima mamada, caso ele não tenha esvaziado o seio todo começe pelo mesmo.

3. Pelo amor de Deus, não me venha com essa de que não amamenta porque não tem leite!!! TER LEITE É UMA QUESTÃO DE ESTÍMULO...quando o bebê mama, as terminações nervosas presentes no mamilo geram impulsos que são levados até a hipófise, glândula situada no cérebro, que em sua região anterior irá produzir a prolactina, sendo liberada na corrente sanguínea seguirá aos alvéolos ativando suas células secretoras de leite.  No mesmo momento em que a hipófise recebe esses impulsos, ela também produz um outro hormônio, porém na sua região posterior, é a ocitocina, que através da corrente sanguínea chegará às células mioepiteliais que envolvem os alvéolos, provocando sua contração e a descida do leite (apojadura) pelos ductos até as ampolas lactíferas sob a aréola. Esses dois processos ocorrem por estímulos neuro-hormonais, ou seja, QUANTO MAIS O BEBÊ MAMA, MAIS LEITE É PRODUZIDO!!!

4.  Outro mito do tempo da vovó...LEITE FRACO NÃO EXISTE. Existe leite materno essencial para o bebê. Algumas mães ficam com dúvidas e acabam achando que o seu leite é fraco, comparado com o leite de vaca que tem uma aparência mais consistente do que o leite materno. Quando os bebês tomam uma mamadeira desse leite levam mais tempo para sentirem fome. Isso acontece com o leite de vaca porque as moléculas são maiores, e por isso torna a digestão mais lenta, sobrecarregando os rins. É pelo bebê levar mais tempo para sentir fome que as a mãe acham que o seu leite é fraco.

5. Aliás, outra coisa que se fazia antigamente supostamente "ótimo para cólica" o famoso CHAZINHO de camomila NÃO SERVE PARA NADA!!! Dar chá (seja qual for) é água adocicada, com sabor, com quase zero calorias, sem proteínas, sem lipídeos, sem anticorpos, e que ocupam espaço no estômago do nenê, que mamará menos por isso!!! Dessa maneira não se deve dar chás para os bebês que estão em aleitamento materno, nem para os que estão com outros leites. Além disso, não é verdade que passam as cólicas !!! Podem é causar mais, uma vez que o organismo do bebê não está preparado para receber esta água com acúcar e erva.

6. Verifique a quantidade de xixi que seu bebê faz. Se fizer sempre e em boa quantidade quer dizer que o pequeno está mamando bem. Preocupe-se se faz pouco ou não faz xixi.

7. O bebê deve ganhar em média 30 gramas por dia, por isso a ida mensal ao pediatra é tão importante.

Não se esqueça que além de todos os benefícios da amamentação, esse é o único momento exclusivo seu com seu bebê...não fique com vergonha, não tenha medo...simplesmente aproveite!!!

Mãenifesto Manifestamos pelo direito de amamentar a cria, sem ser pressionada por profissionais da saúde mal formados ou parentes bem intencionados, a substituir por mamadeira, o alimento que só o seu peito pode dar. Assine!!! http://www.grupocria.com.br/

Nenhum comentário:

Postar um comentário