quinta-feira, 5 de abril de 2012

Qual maternidade escolher???

Em São Paulo, as maternidades preferidas das grávidas são Pró Matre Paulista, Santa Joana, São Luiz e o Santa Catarina. Mas o que devemos levar em conta na hora da decisão?
A minha primeira impressão da Pró Matre não foi das melhores. Fui lá por conta de um mega resfriado, bem no inicio da gravidez e fiquei mais de 4h no pronto atendimento. Isso tudo porque fizeram uma batelada de exames, US (ultrasonografia) e de sangue (a demora foi na espera do resultado - 3h), e enquanto aguardava os resultados me mandaram para a sala de medicação tomar soro, dipirona e vitaminas na veia. Perguntei se podia ir para casa, e caso desse alguma alteração nos exames, eles poderiam me ligar para voltar mais tarde, nada feito...então fiquei lá num chá de cadeira lascado. Fora que, quando fui na maternidade ela, ainda em reforma, achei tudo meio apertado (principalmente pela estrutura do predio)...mas limpo, clean. Estava na dúvida sobre Pró Matre, Santa Joana e Santa Catarina. Nunca gostei muito do São Luiz Itaim, acho os quartos apertados e escuros (pelo menos os que visitei), mas o bom dessa maternidade é que cada andar tem um berçário o que gera menos andança dos bebês, além disso meu médico não gosta muito de trabalhar lá, diz que é muito burocrático passar visita - porém me recomendou o São Luiz da unidade Anália Franco, mas esse é muito longe de casa, totalmente fora de cogitação . O Santa Joana (antigo) além de ser cheio demais, não tinha sala de parto humanizado, então cortamos da lista. Sobrou o Santa Catarina e a Pró Matre, então deixei que  meu médico escolhesse, julguei mais importante a retaguarda médica em caso de emergência (UTI neo-natal e adulta) do que o serviço de hotelaria e a "buniteza" da maternidade. 
 
Sala parto normal na maternidade Pró Matre Paulista
Sobre meus momentos de estadia na Pró Matre, quando cheguei passei pela triagem e de lá direto para a sala de parto normal, super equipada com banheira de hidromassagem (que nem usei porque já estava bem dilatada...ahhh que pena!) e tudo. O serviço é muito bom. Gostei muito do quarto, o meu ficava numa espécie de "subsolo", o berçario era um andar acima, por isso acho que não reparei no fluxo de pessoas porque tem relativamente menos quartos no andar. Outra coisa, é que o bebê fica a maioria do tempo no quarto em "alojamento conjunto", só vai para o berçário se a mãe quer -  creio que nos outros hospitais também seja assim. As enfermeiras são atenciosas, claro que tem sempre as mais atenciosas. Comida boa igual a de restaurante chique. Não tenho do que reclamar! Quanto a segurança, só existe aquela entrada micro do lado da lojinha, toda vez que o bebê sai do berçario é conferida a saída e entrada pela pulseira de código de barras, na alta a criança só sai do berçário acompanhado da enfermeira que vai contigo até a portaria junto com o pai ou acompanhante, não vi problemas esse quesito. O importante é levar em consideração a logística casa-hospital  pela incerteza do trânsito, e principalmente a opinião do seu médico sobre em qual hospital ele se sente mais confortável em trabalhar.

Nenhum comentário:

Postar um comentário