quinta-feira, 12 de abril de 2012

Lições para a vida!!!

Ontem começei a escrever um post sobre os primeiros dias de vida da Cat, de como é difícil essa fase de adaptação, de entrar na rotina dos cuidados diários do bebê, de ter que cuidar da casa, receber as pessoas em casa...mas me senti tão pequena com meus problemas diante da história da pequena Vitória, que adiei por enquanto esse relato!!! Com essa discussão sobre aborto de bebês anencéfalos, ler a história dessa mãe que acreditou na vida (e ciente de tudo o que poderia ocorrer) é de encher os olhos de lágrimas. AMOR e FÉ  foi o que a motivou, mesmo que por alguns instantes, a ter consigo sua filha. Emocionante, o relato é longo mas vale a leitura de cada palava.

http://amadavitoriadecristo.blogspot.com.br/p/licao-do-tic-tac-nascimento-da-vitoria.html

#Lição do dia: Agradeça pela sua saúde, de sua família e de seus amigos!

Minha opinião sobre o tema do aborto: é difícil decidir pelo direito sobre a vida de alguém.  Não é 100% conclusivo nenhum laudo médico, sobre esse ou qualquer outro diagnóstico. Acredito em Deus, e em seus milagres, mas sou racional ao ponto de dar aos pais, progenitores, a OPÇÃO de escolher o rumo que querem dar para suas família. Há pessoas que preferem acreditar na fé e no amor, como o caso da Vitória (ainda com certas dúvidas sobre o diagnóstico de anencefalia), outras preferem poupar-se do sofrimento de prolongar uma gestação como esta. Em qualquer caso, não cabe a nós julgarmos....

4 comentários:

  1. Comentário via Facebook...replicando!

    Mi, a história da Vitória é linda, repleta de fé e apesar de todas as opiniões médicas, os pais puderam optar por aquilo que desejaram seguir.
    A religião defende a vida, como a nossa Constituição Federal também. Contudo em casos de má formações graves que podem ser incompatíveis com a vida, como você eu acho que os pais tem o direito de optar por continuar ou não com a gestação.
    E ter a opção não de decidir é algo que Deus já nos deu há muito tempo, é o livre arbítrio.
    O que eu acredito que nenhuma religião ou mesmo o Estado, pode impor que os pais sigam com a gestação, devem sim dar informações e condições suficientes para que eles possam escolher.
    E continuar ou não com uma gestação nestes casos sempre será um peso para a família, pois toda a escolha tem suas consequências, o sofrimento existe em qualquer um dos caminhos.
    Como as pessoas lidam com ele é que faz toda a diferença!

    Greicy

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Realmente...abençoadas as pessoas que conseguem suportar todo esse sofrimento e que ainda tem forças para seguir em frente!!! #puraadmiração

      Excluir
  2. Comentário via Facebook...replicando!

    Realmente, minha mãe fala uma coisa que é certa: sua cabeça sua sentença... Cabe aos pais zelarem pelo destino do bebê que deve ser o melhor possível.

    Priscila Cervelini

    ResponderExcluir
  3. Comentário via Facebook...replicando!

    Chorei com essa história... Emocionante.

    Ana Quesada

    ResponderExcluir